DEAD ICE – CAPÍTULO 02

– DESCULPE, AGENTES, MAS isso não é novo. Isso é doente, mas não é novo.

Brent bateu na tela e congelou a cena do cemitério escuro no meio da movimentação. Era trêmulo e escuro, e ainda não havia zumbis ou qualquer outra pessoa à vista. Os dois agentes olharam para mim como se eu dissesse algo ruim.

– Nós escolhemos o animador errado? – perguntou Manning a seu parceiro.

– Talvez. – disse ele.

– Eu fui abordada há anos para ajudar as pessoas a fazerem vídeos de sexo com zumbis. Celebridades mortas trazem o desprezível ao nível máximo. – eu tremi, porque todo esse pensamento era tão errado.

– O meu favorito de seus psicopatas é aqueles que querem que você levante sua paixão do ensino médio. – disse Zerbrowski.

– Sim, agora que eles têm dinheiro e sucesso, eles querem mais uma vez a garota que os rejeitou na escola ou na faculdade. – Balancei minha cabeça.

– Isso é doente, é como buscar um psiquiatra com distúrbio psiquiátrico. – disse Manning.

– Concordo e honestamente acho que eles realmente não acreditam que ela vai ser um zumbi. Em algum lugar em suas mentes pensam que ela vai se levantar do túmulo e eles poderão provar que são dignos e viverem felizes para sempre.

– Uau, Anita, essa é uma visão romântica sobre os bastardos doentes que só querem vadiar com a garota que os rejeitou na escola. – Zerbrowski realmente parecia surpreso.

Eu dei de ombros, lutei com uma careta e finalmente disse.

– Sim, sim, uma proposta épica e feminina saindo de você.

– Vadiar. – disse o agente Brent. – Eu não sabia que as pessoas ainda usavam essa palavra.

– Vocês frangotes não conhecem uma boa gíria quando ouvem uma. – disse Zerbrowski.

– Não dê ouvidos, ele não é tão velho. Seus cabelos ficaram sal e pimenta antes do tempo.

– Foram os últimos dois casos, eles me assustaram tanto que meu cabelo ficou branco. –  ele disse sem um sorriso, sem expressão, de um jeito que ele nunca fazia. Se o conhecessem, teriam percebido que estava mentindo, mas eles não o conheciam.

– O cabelo não fica assim por causa do medo. – disse Brent, mas não como se ele acreditasse completamente.

Manning olhou para mim e levantou uma sobrancelha.

Afaguei as costas de Zerbrowski.

– É sua história, não minha.

Zerbrowski sorriu para mim e depois para os agentes.

– Apenas tentando aliviar o ambiente. Isso é parte do meu charme.

– Na verdade é. – eu disse, sorrindo para ele.

– O sargento está aqui porque ele é seu parceiro, quando trabalham na Equipe Regional de Investigação Sobrenatural. Todo mundo o chama de Esquadrão Regional de Investigação Sobrenatural, mas oficialmente não é. – disse Manning.

– É um apelido. – eu disse. – Eles nos chamam RIPIT, tanto pelo “Rest in Peace” e porque a maioria dos crimes são violentos, as coisas são destruídas. Outros policiais e até mesmo a mídia usaram RIPIT por tanto tempo que as pessoas querem o T no nome real do esquadrão.

– Estamos nos desviando de propósito? – perguntou Brent.

Manning assentiu e tomou um gole de café.

– Eu acho que estamos, então de volta ao alvo. Um dos motivos que estamos falando com você, é que você tem mais queixas oficiais entregues à polícia do que qualquer outro animador sobre solicitações de levantamento de zumbis ilegais ou moralmente questionáveis. Uma vez que você tinha uma insígnia própria e eram oficiais, as queixas caíram. Estou assumindo que as pessoas não querem trazer suas atividades ilegais para um U.S. Marshal.

– Você ficaria surpresa com a quantidade de pessoas que pensam que apenas porque eu levanto os mortos, eu tenho que ser o Diabo, com um D maiúsculo, mas sim, os pedidos de sexo casual com zumbis ou um escravo sexual zumbi caíram uma vez que eu poderia fazer as prisões eu mesma.

– Perturbação de cadáver foi uma contravenção por anos. – disse Manning.

– Essa é uma das razões pelas quais há vídeos dessa merda por aí, porque mesmo que fossem pegos, seria apenas um puxão de orelhas. O dinheiro que eles poderiam fazer com a fita, porque eram em fita de vídeo quando começou, valeu o risco, mesmo que fossem pegos. – eu disse.

– As penalidades são mais rígidas agora, mas ainda não são as mesmas se um humano estiver envolvido. – disse ela.

Dei de ombros.

– Eu não faço as leis, apenas ajudo a aplicá-las.

– Você fez o seu melhor para cumprir as leis conforme escrito, e sugeriu mudanças nas leis baseadas na sua experiência, que é uma das razões pelas quais a escolhemos para trazer para o nosso pequeno problema. – Manning disse.

– Todos sabemos que está lá fora, agente, então qual é o grande segredo? Todos os outros pornôs zumbis eram com pessoas com uma boa maquiagem, sem zumbis reais envolvidos, ou um zumbi que havia pedido um trabalho de campo na Califórnia ou em outros países. Os zumbis nesses filmes são um pouco melhores que cadáveres reais.

– Estes são diferentes. – disse Manning.

– Nos mostre. – eu disse e virei. – por favor. – eu acrescentei o “por favor” porque o que eu realmente queria dizer era que estava sendo uma covarde para o FBI, ou algo mais sarcástico. Eu tinha sido um pouco mal-humorada ultimamente, mesmo para mim, então eu estava tentando me controlar e apenas mostrar a mal-humorada aos bandidos. Brent bateu na tela novamente e as filmagens tremidas continuaram a ser instáveis para que você pudesse ver um cemitério à noite, mas era isso. Era como a abertura para um filme de terror amador onde alguém havia ganhado uma câmera nova no natal, e depois se estabilizou. Eu me perguntava se alguém diferente estava segurando a câmera, ou se o proprietário acabara de pegá-la. A resposta para essa pergunta era a diferença entre um cara malvado ou dois.

Houve um salto súbito no filme, do cemitério vazio para uma mulher de cabelo loiro abrindo caminho do túmulo. No começo, pensei que era uma atriz que havia sido enterrada em terra macia até a altura das axilas, mas a câmera pegou um close-up dos olhos, e eu sabia que ela estava morta assim que os vi. O zumbi rastejou para fora do túmulo do jeito que eu tinha visto milhares de vezes antes. Ela teve alguns problemas com a saia do vestido com o qual ela tinha sido enterrada, e então ela tropeçou, o pé torcido porque um dos seus sapatos de salto alto aparentemente ficou no túmulo.

O corpo era alto, escultural, com cabelos loiros até os ombros. A gola do vestido branco mostrava um decote profundo, o que significava que os seios provavelmente eram implantes; tecido mamário real não ficaria tão alto sem uma mulher para arruma-los, e o zumbi não sabia o suficiente para fazer isso. O pequeno foco de atenção ou o que quer que tenha se conectado à mão da câmera, nos mostrou que seus olhos eram cinza pálido que poderia ter sido mais azul quando estava viva. O azul misturado com qualquer sombra de cinza ou verde ou até mesmo avelã tendem a mudar com o humor de uma pessoa mais do que a maioria das cores dos olhos. Viva, ela provavelmente teria sido bonita, mas não havia base suficiente para isso agora. Muito do apelo de uma pessoa é o espírito deles, a personalidade. Os zumbis não tinham muito disso.

A próxima cena, se é que se poderia chamar assim, era de um zumbi parado em um quarto, exceto que não havia janelas visíveis, e havia apenas alguma coisa que estava fora do lugar sobre isso. Eu não tinha certeza do porque eu não gostava do quarto, mas não gostei. O zumbi estava vestindo a mesma roupa que no cemitério, não se limpou, isso parecia ruim em um filme de terror, em um quarto com sua colcha florida e o piso de cerâmica. Essa era a parte que estava errada; ninguém coloca piso de cerâmica em seu quarto. Eles fizeram outro zoom dos olhos do zumbi, e desta vez eles não estavam vazios. Desta vez, estavam aterrorizados.

– Porra. – eu disse suavemente, mas com sentimento real.

– Você também viu isso. – disse Manning.

– Sim, eu vi.

Zerbrowski disse.

– Por que os olhos parecem assustados? Os zumbis não sentem medo, certo?

– Normalmente não. – eu disse.

Zerbrowski se levantou da cadeira e se aproximou de onde o resto de nós estávamos sentados.

– Por que os olhos parecem assim, então?

– Nós não sabemos. – disse Manning. – O que você está prestes a ver, de acordo com os nossos especialistas, é impossível.

Minha pele já estava fria, meu estômago apertado, porque eu tinha muito medo do que exatamente o “impossível” seria.

Um homem com uma dessas máscaras de couro, onde apenas os olhos e a boca aparecem. Os olhos da zumbi seguiram o movimento, mas o resto ficou imobilizado, provavelmente porque foi-lhe dito para que ficasse parada até que lhe dissessem o contrário, ela deveria ficar ali, mas não disseram para ela não mover seus olhos, então ela seguiu os movimentos do homem como uma vítima humana que tinha sido amarrada. Ela estava amarrada, mais apertada do que qualquer corda ou corrente poderia fazer. Foda-se, eu não queria que esse filme fosse para onde estava indo. Rezei silenciosamente, por favor, Deus, não permita que eles façam isso com ela. Deus responde todas as orações, mas às vezes a resposta é não.

O homem passou a mão por dentro de seu vestido e começou a acariciar seu seio. A câmera pegou o estremecimento em seus olhos – ela não queria que ele a tocasse, mas somente seus olhos, eram capazes de dizer não.

– Eles lhe deram um sedativo para mantê-la imóvel? – perguntou Zerbrowski.

– Nós investigamos isso. – disse Manning. – Se ela estivesse viva, talvez, mas sabemos que ela não está. Repare, ela nunca respira. Um ser humano precisa respirar. Não há dúvidas de que ela é uma zumbi, então ela segue as ordens daquele que a levantou.

– Ela respira em filmes posteriores? – perguntei.

– Ela fala e você tem que respirar para fazer isso, mas além disso, não.

O homem estava usando um par de boxers de seda com corações sobre ela, como uma piada de vestir-se para uma noite romântica, com exceção da máscara, que não combinava com o boxer quase engraçado. Sim, eu estava concentrada nos detalhes que poderiam me ajudar a encontrar qualquer pista para descobrir quem ou onde isso foi filmado, mas eu também estava tentando me concentrar nos detalhes que não me perseguiriam tanto. O boxer de coração idiota era quase uma gentileza, uma quebra no horror, como se quem estivesse escolhido os figurinos tivesse feito uma quebra proposital.

Eu perdi o boxer coberto de corações quando ele o tirou, porque eu tinha que me concentrar em seu corpo, procurando por marcas de nascença ou tatuagens, ou qualquer coisa que o fizesse não ser um rapaz comum com uma máscara. Eu não queria olhar para o corpo dele, não queria pesquisar cada centímetro dele para identificar marcas. Eu queria desviar o olhar, mas se a mulher do filme teve que suportar isso, porque era o que os olhos dela diziam, então eu não desviaria o meu olhar. Eu não hesitaria e não perderia qualquer imagem que poderia nos levar a esses bastardos – embora parte de mim soubesse que, se apenas observando os filmes nos levassem a algum lugar, o FBI já os teria encontrado. Mas eu assistiria de qualquer maneira, porque a maioria dos policiais acredita que eles vão ver algo que todos perderam; É a esperança que nos mantém todos colocando a insígnia e a arma todas as manhãs. Quando essa esperança acaba, procuramos empregos diferentes.

Um homem fora do foco da câmera disse para ela se deitar na cama e ela fez isso instantaneamente, mesmo quando seus olhos demonstravam o quanto ela não queria fazer isso. O homem nu em frente a câmera deslizou a calcinha para baixo daquelas pernas longas que ainda estavam cobertas de sujeira da terra, uma ainda estava com seu sapato de salto alto. Alguém tinha pintado as unhas dos seus pés de um rosa suave, como se não se importassem com sapatos fechados e um cadáver. Ela esperava que mais de suas roupas fossem tiradas dela, mas o homem nu simplesmente subiu sobre ela sem preliminares, exceto que ela puxou o vestido para fora do caminho.

Zerbrowski soltou o ar atrás de mim.

– Jesus.

Eu não olhei para ele, não olhei para ninguém, e nenhum de nós olhou um para o outro, porque quando assistimos esse tipo de merda, ninguém quer fazer contato visual. Você não quer que os outros oficiais saibam que você está com medo ou muito emocional, e, se alguma coisa nesse horror te excitar, não compartilhe isso também. Nenhum dos outros policiais quer saber.

A única vantagem era que a câmera se movia o suficiente para mostrar o sexo, então não conseguimos ver seus olhos. Ela simplesmente ficou ali como o cadáver que ela quase era, e essa era a única graça salvadora. Ele acabou tirando o pau de seu corpo e fez o final obrigatório de um filme pornô para mostrar que ele realmente gozou.

O filme terminava aí, e eu senti meu estômago se afrouxar um pouco. Eu tinha visto tudo; Bom para mim. Bom para nós todos.

– O valor da produção aumenta à medida que os filmes progridem. – disse Brent.

Eu me virei e olhei para ele.

– O que você quer dizer?

– O boxer quase hilário desaparecem, mas o trabalho de câmera fica melhor e eles colocam mais toque pessoais ao redor do quarto para que pareçam mais correspondentes e mais reais. – disse ele.

– É sempre o mesmo cara no cenário. – perguntou Zerbrowski.

– Na maioria dos filmes, mas há um segundo cara, de aparência mais jovem, que aparece nos dois últimos filmes. – disse Brent.

– Quantos filmes existem? – perguntei.

– Mais do que quero me sentar para assistir. – disse Manning.

Olhei para seus olhos e vi um cansaço terrível, como se só por assistir o filme, tivesse envelhecido muitos anos. Ela balançou a cabeça.

– Segue para o próximo, Brent. Vamos acabar com isso.

Eu não disse a ela que não precisava assisti-los novamente. Eu a deixei lidar com sua própria merda, fazer qualquer outra coisa teria sido uma violação do “código do cara” de que todo o trabalho da polícia girava em torno. O sexo do policial não altera o código. Eu só quebrei com amigos, ou quando não consegui me ajudar, como quando Manning perguntou sobre meu noivado. Isso parecia ter acontecido há muito tempo, e Brent estava certo; a conversa de princesas parecia muito melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: